Artigo: Honorários Contábeis, escrito por Pedro André S. Dias

Honorários Contábeis!

“A valorização da nossa Profissão está condicionada à nossa valorização pessoal!” (Rogério Rokembach, ex-presidente CRC-RS)

Indo direto ao ponto, infelizmente na nossa profissão como em tantas outras, é lastreada por pessoas que na negociação dos honorários, ausentam-se de ética e não medem as devidas consequências para tal. O empobrecimento de um produto ou serviço, faz com que se torne pouco valorizado, e em contra partida torne-se elemento desmotivacional para a classe.

Esta semana ouvi um colega dizer que perdeu umas declarações de imposto de renda para um recém-formado. Ele o cobrava R$ 545,00 reais, e o jovem sedento por um lugar ao sol ofereceu-se por 50 reais cada. Nada contra com recém-formados, afinal sou um destes, porém com dadas diferenças de experiência e prática, acredito que há trabalhos e trabalhos!

Há serviços para fuzileiros navais que vão lá, desembarcam na praia e tomam o terreno e, há serviços para escoteiro-mirins. Você escolhe com quem quer trabalhar. Ou com um profissional que pode resolver definitivamente o seu problema ou vai deixar meninos brincarem com o seu tempo, dinheiro e paciência.

Vamos conjuminar a seguinte situação: O seu carro estraga, você reboca até o mecânico, ele te informa que a correia dentada arrebentou e vai ter que arrumar tudo, você se vira para ele e diz: – “Pode deixar que eu mesmo arrumo.” Ou ainda, você vai ao médico e ele te diz que, infelizmente, você terá que ser submetido a uma complicada cirurgia no seu braço cortado. E você: – “Não precisa doutor, tenho um sobrinho que é escoteiro e sabe tudo de primeiros socorros, depois ele faz isso pra mim!”

A função de um escritório de serviços contábeis deve ir além do simples apurar impostos, gerar guias e entregar holerites. O contador deve contribuir com o objetivo de oferecer ao empresário as ferramentas necessárias para a preservação do seu patrimônio e a gestão dos negócios. Quando falamos em micro e pequenas empresas, normalmente escanteamos a contabilidade para uma obrigação chata e sem utilidade. Claro que não é culpa tão somente dos contadores que cobram barato, afinal os empresários também não estão dispostos na maioria das vezes a abrir mão e investir mais neste setor.

O que poderia fazer o escritório de contabilidade para as pequenas empresas sem onerar muito seus custos, ou talvez com pequeno reajuste na mensalidade?

Vamos citar os principais: – Confrontar as compras mensais, através dos livros de entradas com as vendas pelos livros de saídas; e verificar se não está com excesso de estoque, isto poderá criar problemas no seu caixa. – Orientar o empresário na formação do preço de venda, pois é fundamental embutir no preço todos os impostos, as despesas e o lucro desejado. – Montar uma planilha simples de fluxo de caixa (entradas e saídas de dinheiro), onde será registrado o saldo atual de caixa (bancos), a previsão das entradas pelas duplicatas ou vendas a receber, e ou previsão de vendas futuras; e as saídas, que são os pagamentos já compromissados e a previsão de gastos, tais como: Matérias primas ou mercadorias, folha de pagamento, encargos, impostos, empréstimos e outras despesas, etc.

É que a arrogância e o tempo para se maturar ideias não está sendo respeitado. Devemos respeitar mais nossos colegas e nosso próprio serviço, caso contrário continuaremos a ter escritórios abarrotados de clientes, com uma prestação de serviço medíocre: o de Guardar Livros!

“…Para ser um bom empresário, não basta somente a técnica, necessita-se também do conhecimento do mundo dos negócios…”( Rogério Rokembach, ex-presidente CRC-RS)

Artigo por Pedro André da Silva Dias, contador e empresário em Passo Fundo – RS.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.